Spirituality On The Assistance Practice Meaning: Multi Professional Team Perspectives

  • Terezinha Nunes da Silva
  • Monica Ferreira de Vasconcelos
  • Maria Eliane Moreira Freire
  • Maria Emília Limeira Lopes
  • Luciana de Araújo Moreira
  • Marineuma Martins
  • Brunna Hellen Saraiva Costa
  • Lucia de Fátima Mororó Noronha
  • Simone Pereira Lins Chaves
  • Patrícia da Silva Araújo
  • Marta Ferreira de Carvalho

Abstract

The spirituality has been pointed as a valuable resource that helps the human being to face the sickness process. This study aimed to investigate the opinion of a multi professional health team about the spirituality on the health-disease process and; verify the multi professional health team perspectives about the spiritual care integrated to the health assistance. It is about a descriptive research with qualitative approach, developed with members of a school-hospital multi professional team, in João Pessoa city – PB. Analyzed qualitatively, through content analyze technique, in the thematic modality, proposed by Bardin. From the analyzes of empirical material obtained through subjective questions, emerged two thematic categories: spirituality with religiosity interface, transcendence, life style and culture; spirituality influence on the promotion of comfort to the patient and on the professional ethical posture. It was understood in this study that the multi professional team understanding about the spirituality is ambiguous and permeated by fragile significances. The professionals don’t feel prepared and comfortable yet to insert this therapeutic modality in their routine, however there is a more exponential perception of this gape in the assistance plan. 


Descriptors: Spirituality. Patient. Health. Assistance. Multi professional team.

References

1. Nunes FA, Nunes AS, Lorena YG, Novo NF, Juliano Y, Schnaider TB. Autoestima, depressão e espiritualidade em pacientes portadores de doença renal crônica {em tratamento hemodialítico. Revista do Médico Residente. 2014 Abril - jun; 16(1): 73-156. [Acesso em Março 2016]. Disponível em:
http://www.crmpr.org.br/publicacoes/cientificas/index.php/revista-do-medico-residente/issue/view/36/showToc.

2. Hefti R, Esperandio MRG. O Modelo Interdisciplinar de Cuidado Espiritual – Uma Abordagem Holística de Cuidado ao Paciente. Horizonte. 2016 Jan – Mar; 14(41): 13-47.

3. Oliveira GR, Fittipaldi NJ, Salvi MC, Camargo SM, Evangelista JL, Espinha DCM, Lucchetti G. Saúde, espiritualidade e ética: a percepção dos pacientes e a integralidade do cuidado.Rev Bras Clin Med. São Paulo, 2013 Abr - Jun;11(2):140-4.

4. Bardin L. Análise de conteúdo. Ed. 70. Lisboa: Edições, 2011.

5. Costa JP, Jorge MSB, Vasconcelos MGF, Paula ML, Bezerra IC. Resolubilidade do cuidado na atenção primária: articulação multiprofissional e rede de serviços. Saúde Debate. 2014 Out-Dez; 38(103) :733-43.

6. Cardoso CG, Hennington ÉA. Trabalho em equipe e reuniões multiprofissionais de saúde: uma construção à espera pelos sujeitos da mudança. Trab. Educ. Saúde [online]. 2011; 9(suppl.1):85-112. [Acesso em Março 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1981-77462011000400005&script=sci_abstract&tlng=pt

7. COSTA SM et al. Perfil do profissional de nível superior nas equipes da Estratégia Saúde da Família em Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2013 Abr-Jun; 8(27):90-6. [Acesso em Abil 2016]. Disponível em: http://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/viewFile/530/552.
8. IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estat. Reg. Civ. Rio de Janeiro, 41, p.1- 82, 2014. [Acesso em Maio 2016].
Disponível em:

9. IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - Censo demográfico 2010. Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Rio de Janeiro, p.1-215, 2010.

10. Zenevicz LT, Santos WF. Crença em símbolos espirituais no processo de envelhecimento. Fisisenectus. 2013 Jan – Jun ; 1(1):51-60.

11. Penha RM; Silva MJPS. Significado de espiritualidade para a enfermagem em cuidados intensivos. Texto Contexto Enferm. 2012 Abr-Jun; 21(2): 260-8.

12. Castelo-Branco MZ; Brito D, Fernandes-Sousa C. Necessidades espirituais da pessoa doente hospitalizada: revisão integrativa. Aquichán [online]. 2014 Març; 14 (1): 100-108. [Acesso em Abil 2016]. Disponível em:
http://www.scielo.org.co/pdf/aqui/v14n1/v14n1a09.pdf.

13. Pinto AC et al. A importância da espiritualidade em pacientes com câncer. Rev Saúde Com. 2015 Abr -Jun; 11(2): 114-122.

14. Marrier TA, Raille Alligood M. Modelos y teorias en enfermería. Sexta edicion. 2008.

15. Murakami R, Campos CJG. Religião e saúde mental: desafio de integrar a religiosidade ao cuidado com o paciente. Rev Bras Enferm.  2012 Març – Abr.; 65(2): 361-7.

16. Melo CF et al. Correlação entre religiosidade, espiritualidade e qualidade de vida: uma revisão de literatura. Revista Estudos e pesquisas em psicologia. 2015 Jun - Set; 15(2): 447-64.

17. Andrade CG, Alves AMPM, Costa SFG, Santos FS. Cuidados paliativos ao paciente em fase terminal. Rev Baiana Enferm. 2014 Maio – Ago; 28(2): 126-33.

18. Freire MEM, Sawada NO, França ISX, Costa SFG, Oliveira CDB. Qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes com câncer avançado: uma revisão integrativa. Rev Esc Enferm. USP [online]. 2014;48(2); 357-367. [Acesso em Jun 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v48n2/pt_0080-6234-reeusp-48-02-357.pdf.

19. Santos, N. C.; Abdala, G. A. Religiosidade e qualidade de vida relacionada à saúde dos idosos em um município na Bahia, Brasil. Rev Bras Geriatr Gerontol. [online]. 2014; 17(4): 795-805. [Acesso em Jun 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v17n4/1809-9823-rbgg-17-04-00795.pdf.

20. Magalhães SR et al. Influência da espiritualidade, religião e crenças na qualidade de vida de pessoas com lesão medular. Texto Contexto – Enferm. 2015 Julh – Setemb; 24(3): 792-800. [Acesso em Jun 2016]. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1590/0104-07072015000620014

21. Pennafort VPS, Queiroz MVO, Jorge MSB. Crianças e adolescentes renais crônicos em espaço educativo-terapêutico: subsídios para o cuidado cultural de enfermagem. Rev Esc Enferm. USP . 2012 Oct; (46)5:1057-65.

22. Borges MS, Santos DS. O campo de cuidar em enfermagem. Cienc Cuid Saude. 2013 Jul/Set; 12(3):606-611.

23. Koenig HG. Medicina, religião e saúde: um encontro da ciência e da espiritualidade. Porto Alegre: L&PM, 2012.

24. Ferreira AGC, Duarte TM de M, Silva AF da, Bezerra MR. Concepções de Espiritualidade e Religiosidade e a Prática Multiprofissional em Cuidados Paliativos. Revista Kairós Gerontologia. 2015 Julho - Setemb;18(3): 227-244.

25. Nascimento LC et al. Espiritualidade e religiosidade na perspectiva de enfermeiros. Texto Contexto - Enferm. [online]. 2013 Març; 22(1): 52-60. [Acesso em Jun 2016]. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072013000100007.

26. Schleder LP, Parejo LS, Puggina AC, Silva MJP da. Espiritualidade dos familiares de pacientes internados em unidade de terapia intensiva. Acta Paul Enferm.[online]. 2013; 26(1): 71-78. [Acesso em Jun 2016]. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000100012.

27. Silva JO da, Araújo VMC de, Cardoso BGM, Cardoso MGM. Dimensão espiritual no controle da dor e sofrimento do paciente com câncer avançado. Relato de caso. Rev. dor [online]. 2015 Jan – Març; 16(1): 71-4. [Acesso em Jun 2016]. Disponível em: https://dx.doi.org/10.5935/1806-0013.20150014.

28. Gobatto CA, Araujo TCCF de. Religiosidade e espiritualidade em oncologia: concepções de profissionais da saúde. Psicologia USP. 2013 Jan – Abril; 24(1):11-34.

39. Reginato V, Benedetto MCD, Gallian DMC. Espiritualidade e saúde: uma experiência na graduação em medicina e enfermagem. Trab Educ Saúde. 2016 Mar; 14(1): 237 - 255.  

30. Olson JK. Conhecimento necessário para usar o poder da espiritualidade nos cuidados à saúde. Acta Paulista de Enferm. 2015 Març – Abr; 28(2): 3-4. [Acesso em Jun 2016]. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=307038016001.

31. Pilger C, Macedo JQ, Zanelatto R, Soares LG, Kusumota L. Dimensão Espiritual e Religiosa na UTI. Cienc Cuid Saude 2014 Jul - Set; 13(3):479-486.

32. Borges MS, Santos MBC,  Pinheiro TG. Representações sociais sobre religião e espiritualidade.  Rev Bras Enferm. [online]. 2015; 68(40): 609-616. [Acesso em Jun 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v68n4/0034-7167-reben-68-04-0609.

33. Nascimento LC et al. Cuidado espiritual: componente essencial da prática da enfermeira pediátrica na oncologia. Acta Paul Enferm. 2010 Jun; 23( 3): 437-40. [Acesso em Mai 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002010000300021&lng=en&nrm=iso.

34. Gentil RC. et.al. Organização de serviços de capelania hospitalar: um estudo bibliométrico. Esc Anna Nery. 2011 Jan – Març; 15(1): 162-170. [Acesso em 30 Mai 2016]. Disponível em: .

35. Silva M da. Espiritualidade na Atenção em Saúde em Geral no Brasil/ Maira da Silva. – Brasília, 2013. 33 f.: il.Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade de Brasília,
Faculdade de Ceilândia, 2013.
Published
2017-03-13
How to Cite
SILVA, Terezinha Nunes da et al. Spirituality On The Assistance Practice Meaning: Multi Professional Team Perspectives. International Archives of Medicine, [S.l.], v. 10, mar. 2017. ISSN 1755-7682. Available at: <http://imedicalsociety.org/ojs/index.php/iam/article/view/2246>. Date accessed: 18 sep. 2019. doi: https://doi.org/10.3823/2318.
Section
Psychology