Care Management In The Family Health Support Core: Technologies Operated In The Professional Dimension

  • José Maria Ximenes Guimarães
  • Gerlane Holanda de Freitas
  • Aretha Feitosa de Araújo
  • Maria Claudia de Freitas Lima
  • Élcio Basílio Pereira Machado
  • Cleide Carneiro
  • Maria Elidiana de Araújo Gomes
  • Fernando Luiz Affonso Fonseca
  • Maria do Socorro Sousa
  • Myrla Alves de Oliveira
  • Tatyane Oliveira Rebouças
  • Eduardo Carvalho de Souza
  • Ana Maria Araújo Salomão

Abstract

Introduction: The Centre for Health Support Family - NASF has a innovative character with potential to concretize change in the organization of services and in care practices, supporting and expanding the solvability of the actions of the teams of the Family Health Strategy - FHS. To this end, it must operationalize technologies, arrangements and care management devices.


Objective: To describe the care management technologies, particularly in the professional dimension, operated by the teams of the Support Centre for Family Health, in its dialogue with the Health Strategy.


Methods: case study with a qualitative approach, with the 12 professionals from a NASF team of Maracanaú, Ceará, Brazil. Focal group was performed. The empirical material was analysed based on the content analysis.


Results: there is evidence of a proposal for production of integral care based on the use of technologies as host, bond, autonomy and accountability. The user approach is based on the principles of the extended clinic. However, there are difficulties related to the regulation of access, the construction of bonds, the construction of therapeutic projects and intersectional articulation.


Final thoughts: it appears necessary to overcome the challenges, strengthen mechanisms for coordination and for negotiation of labour, as well as rethinking the NASF linking logic to a seemingly high number of FHS teams complicates the organization of work processes, building of agendas, weakens the bonds with the users and even the solvency.

References

1- MACEDO, M.A.V.; GUIMARAES, J. M.X.; SAMPAIO, J. J. C. ; MORAIS, A. P. P.; CARNEIRO, C. Análise do processo de trabalho no núcleo de apoio à saúde da família em município do nordeste brasileiro. Rev. Gerenc. Polit. Salud, Bogotá (Colombia), 2016; 15 (30): 194-211.
2- BRASIL. MINISTERIO DA SAUDE. CLÍNICA AMPLIADA E COMPARTILHADA. 1 ed. 1 reimp. Brasila: Ministerio da Saúde, 2010.

3-KLEIN, A. P.; d'Oliveira, A. F. P. L. O. "cabo de força" da assistência: concepção e prática de psicólogos sobre o Apoio Matricial no Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Cadernos de Saúde Pública, 2017; 33(1), e00158815. Epub 23 de janeiro de 2017. https://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00158815.
4- CECILIO, L. C. O. Apontamentos teórico-conceituais sobre processos avaliativos considerando as múltiplas dimensões da gestão do cuidado em saúde. Revista Interface Comunicação Saúde Educação, v. 15, n. 37, p. 589-99, abr./jun. 2011.

5- YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5 .ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

6- Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE). Perfil Básico Municipal de Maracanaú, 2015. Disponível em: http://www.ipece.ce.gov.br>2015>maracanau. Acesso em: outubro de 2016.
7- MINAYO, M. C. S. O Desafio do Conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 13ª ed. São Paulo: HUCITEC, 2013.
8- GOMES, M. C. A. P.; Pinheiro, R. Acolhimento e vínculo: práticas de integralidade na gestão do cuidado em saúde em grandes centros urbanos. Revista Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v.9, n.17, p.287-301, mar/ago 2005.
9- OLPONI, Paula Roberta Rozada; GARANHANI, Mara Lúcia  e  CARVALHO, Brigida Gimenez. Núcleo de Apoio à Saúde da Família: potencialidades como dispositivo de mudança na Atenção Básica em saúde. Saúde debate. 2015; 39(spe): 221-231. http://dx.doi.org/10.5935/0103-1104.2015S005418.
10- GONÇALES, R.M.A.; LANCMAN, S.; SZNELWAR, L. I.; CORDONE, N. G.; BARROS, J.O. Estudo do trabalho em Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), São Paulo, Brasil Rev. bras. Saúde ocup., São Paulo, 40 (131): 59-74, 2015.

11- CECILIO, L.C.O. ; CARAPINHEIRO, G.; ANDREAZZA, R. (org). Os mapas do cuidado: o agir leigo em saúde. 1 ed. São Paulo: HUCITEC; FAPESP, 2014.

12- grabois, V. Gestão do Cuidado. In: Oliveira, R. G.; GRABOIS, V.; MENDES JR, W. V. (org.) Qualificação de gestores do SUS. Rio de Janeiro: EAD/Ensp, 2009. 404 p., il.

13- SANTOS, A. M.; ASSIS,M . M. A.;  NASCIMENTO, M. A. A.; JORGE, M. S. B. VÍNCULO E AUTONOMIA NA PRÁTICA DE SAÚDE BUCAL NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA. REV. SAÚDE PÚBLICA. 2008, VOL.42, N.3, PP.464-470.  HTTP://DX.DOI.ORG/10.1590/S0034-89102008005000025.

14- AMORIM, A. C. C. L.; ASSIS, M . .A.; SANTOS, A. M. VÍNCULO E RESPONSABILIZAÇÃO COMO DISPOSITIVOS PARA PRODUÇÃO DO CUIDADO NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Revista Baiana de Saúde Pública. v.38, n.3, p.539-554 jul./set. 2014.
15- Gomes, L. M. D. O Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) e a Integralidade na Atenção Básica em Saúde Mental em um Município da Região Serrana do Rio de Janeiro. Dissertação, Mestrado Profissional em Vigilância em Saúde na Região Leste do Rio de Janeiro, fiocruz, 2013.
16- PINHEIRO, R. Práticas de saúde e integralidade: as experiências inovadoras na incorporação e desenvolvimento de novas tecnologias assistenciais de atenção aos usuários no SUS. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Experiências Inovadoras no SUS: relatos de experiências. Brasília, 2002. p.15.

17- MEDEIROS, C. R. G. et al. A rotatividade de enfermeiros e médicos: um impasse na implementação da Estratégia de Saúde da Família. Ciência Saúde Coletiva, 15(supl.1): 1521-31, 2010.

18- VIEGAS, S. M. F.; PENNA, C. M. M. O vínculo como diretriz para a construção da integralidade na Estratégia Saúde da Família. Revista Rene, 13(2): 375-85, 2012.

19- RAIMUNDO, J. S.; CADETE, M. M.  Escuta qualificada e gestão social entre os profissionais de saúde. Acta paul. enferm.  2012; vol.25, n.spe2.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002012000900010.
20- MERHY, E. E. Em busca do tempo perdido: a micropolítica do trabalho vivo em saúde. In: FRANCO, R.B.; MERHY, E.E. (Orgs). Trabalho, produção o cuidado e subjetividade em saúde: textos reunidos. São Paulo: Hucitec, 2013. P. 19-67.

21- BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Núcleo de Apoio à Saúde da Família: ferramentas para a gestão e para o trabalho cotidiano. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.
22- SUNDFELD, A. C. Clínica ampliada na atenção básica e processos de subjetivação: relato de uma experiência. Physis – revista de Saúde Coletiva.  2010, vol.20, n.4 [cited 2017-02-07], pp.1079-1097. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312010000400002.

23- Oliveira, G. N. O. O Projeto terapêutico como contribuição para a mudança das práticas de saúde. Dissertação Mestrado Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Ciências Médicas, SP, 2007.
24- JORGE, M. S. B. et al. Estratégia Saúde da Família e Centros de Atenção Psicossocial: Gestão do Cuidado e Atenção Clínica em Saúde. Fortaleza, EdUECE, 2015.
25- Cecilio, L. C. O. As necessidades de saúde como conceito estruturante na luta pela integralidade e equidade na atenção em saúde. In: PINHEIRO, R.; MATTOS, R. A. Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde. Rio de Janeiro: IMS-UERJ, 2001.
26- SILVA, A. T.C; Aguiar, M. E. ; Winck, K.; Rodrigues, K. G. W.; Sato, M. E.; Grisi, S. J. F. E.; Brentani, A.; Rios, I. C. Núcleos de Apoio à Saúde da Família: desafios e potencialidades na visão dos profissionais da Atenção Primária do Município de São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 2012; 28(11), 2076-2084. https://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012001100007 
27- Santos, A. M. Gestão do cuidado na microrregião de saúde de Vitória da Conquista (Bahia): desafios para constituição de rede regionalizada com cuidados coordenados pela Atenção Primária à Saúde. Tese (Doutorado) – Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Rio de Janeiro, 2013.

28 - Bezerra IMP, Sorpreso ICE. Concepts and movements in health promotion to guide educational practices. J Hum Growth Dev. 26(1): 11-20, 2016. Doi: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.113709
Published
2017-03-24
How to Cite
XIMENES GUIMARÃES, José Maria et al. Care Management In The Family Health Support Core: Technologies Operated In The Professional Dimension. International Archives of Medicine, [S.l.], v. 10, mar. 2017. ISSN 1755-7682. Available at: <http://imedicalsociety.org/ojs/index.php/iam/article/view/2295>. Date accessed: 20 oct. 2017. doi: https://doi.org/10.3823/2362.
Section
Global Health & Health Policy

Most read articles by the same author(s)