Gender Category Study: Perspectives Of Nursing Interns In Public Health

  • Mikael Lima Brasil
  • Laís Vasconcelos Santos
  • Javanna Lacerda Gomes da Silva Freitas
  • Wendy Delgado da Cunha
  • Thalys Maynnard Costa Ferreira
  • Gisetti Corina Gomes Brandão
  • Francisco de Sales Clementino
  • Polyana Galdino Sousa Barros
  • Raine Danyele Vieira de Sousa
  • Rafaela Andresa da Silva Santos
  • Maria Louiza Tarquino
  • Maria Inês Borges Coutinho
  • Jéssica Oliveira Rodrigues
  • Ádylla Maria Alves de Carvalho
  • Márcio Victor da Costa Carneiro

Abstract

Introduction: The dialog with learning process about gender category is one of the ways, in nursing, to recognize needs produced by population through social control. It may be linked by formative mechanisms, aiming the qualification of academic knowledge and practical internship activities.


Objective: We explore the learning experience from the approximation with gender category and its implications to the care provided by nurses in Primary Care.


Methods: This is a descriptive study, critic-reflexive, of experience report type, systematized from the experience with gender category in health, and designed under two reflective axes: 1 – Operationalization of Supervised Curricular Internship; and 2 - Conceptualizing gender: perspectives for nursing care.


Results: There were a theoretical enrichment about gender category in overcoming the biases found during the formation process, demystifying normative patterns built around gender and sexuality, becoming necessary to conceptual comprehension in nursing care context, in nurse’s action in Primary Care, in the current social scenario of health-disease process from identity questions, recognizing subjects’ expression through their subjectivity.


Conclusion: Making the nursing students’ knowledge about the theme possible has demonstrated to be an operationalization of necessary tools to implement a more qualified assistance in Public Health.


Keywords: Gender; Nursing; Public Health.

References

1. Projeto pedagógico do curso de enfermagem do CCBS-UFCG. Centro de Ciências Biológicas e da Saúde: Universidade Federal de Campina Grande; 2011.

2. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção a Saúde. Política Nacional de Atenção. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2012.

3. Ministério da Saúde (BR). Secretaria Executiva. Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2004.

4. Foucault M. Microfísica do Poder. 25. ed. São Paulo: Graal; 2012.

5. Butler JP. Problemas de Gênero: Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileiras; 2003.

6. Cut Brasil. O que é Sistematização? Uma pergunta. Diversas respostas. São Paulo: Cut Brasil, 2000.

7. Holliday OJ. Para sistematizar experiências. tradução de: Maria Viviana V. Resende. 2. ed., revista. Brasília: MMA; 2006.

8. Cidac, Holliday OJ. Sistematização de Experiências: aprender a dialogar com os processos. Rio de Janeiro: CIDAC; 2007.

9. Diniz CR, Silva IB. Metodologia Científica: O método dialético e suas possibilidades reflexivas. Campina Grande/Natal: Eduepb; 2008.

10. Zago LH. O método dialético e a análise do real. Kriterion [Internet]; jun 2013 [citado em 12 abr 2015]; 54(127). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_artte xt&pid=S0100-512X2013000100006&lng=en&nrm=iso

11. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2004.

12. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2013.

13. LEI Nº 11.788, DE  25 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996; revoga as Leis nos 6.494, de 7 de dezembro de 1977, e 8.859, de 23 de março de 1994, o parágrafo único do art. 82 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e o art. 6o da Medida Provisória  no 2.164-41, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Diário Oficial da União, 25 set 2008.

14. RESOLUÇÃO CNE/CES Nº 3, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. Câmara de Educação Superior. Resolução. Diário Oficial da União, 9 Nov 2001.

15. RESOLUÇÃO Nº 03/2012. Regulamenta o Estágio Curricular Supervisionado do Curso de graduação em Enfermagem do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Campus de Campina Grande, e dá outras providências. Colegiado do curso de enfermagem do CCBS-UFCG. Resolução. 2012.

16. Tsuji H, Aguilar-da-Silva RH. Experience with a problem-based curriculum implemented in the endocrine system unit in the 2nd grade medical course at Marília Medical School - Famema. Arq Bras Endocrinol Metab [Internet]; Ago 2004 [cited in 08 set 2015]; 48(4): 535-543. Disponível em: .

17. Buss PM, Pellegrini Filho A. A Saúde e seus Determinantes Sociais. PHYSIS: Rev. Saúde Coletiva [Internet]. 2007 [citado 2015 jul 20]; 17(1): 77-93. Disponível em: .

18. Louro GL. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 3ªed. Belo Horizonte: Autêntica Editora; 2010.

19. Scott JW. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. 1995; 20(2).

20. Nascimento ER. Construção de indicadores de gênero para avaliação da assistência de enfermagem: aspectos teóricos e metodológicos. In Ferreira SL, Nascimento ER. Imagens da cultura contemporânea. Salvador: NEIM/UFBA; 2002.

21. Jesus JG. Orientações sobre Identidade de Gênero: conceitos e termos. Goiânia: Ser-Tão - Núcleo de estudos e pesquisas em gênero e sexualidade, UFG; 2012.

22. Calderaro F, Fernandes B, Mello L. Cidadania TTLBG e o direito à saúde no Brasil. In Rocha D, et al (orgs.). Diversidade e equidade no SUS: parceria universidade e educação popular. Goiânia: Cânone; 2008.

23. Butler JP. Undoing gender. Nova York; Londres: Routledge; 2004.
Published
2017-02-21
How to Cite
LIMA BRASIL, Mikael et al. Gender Category Study: Perspectives Of Nursing Interns In Public Health. International Archives of Medicine, [S.l.], v. 10, feb. 2017. ISSN 1755-7682. Available at: <http://imedicalsociety.org/ojs/index.php/iam/article/view/2354>. Date accessed: 25 sep. 2017. doi: https://doi.org/10.3823/2323.
Section
Primary Care