The Family Health Support Core (NASF) And Health Practices: Are There Many Challenges To Be Overcome?

  • Djavan Gomes Leite Student of the Physical Therapy Course
  • Maurício Caxias de Souza Universidade Federal da Paraíba
  • Danielle Aurília Ferreira Macêdo Maximino ²College the Nursing and Medical Nova Esperança (FACENE/FAMENE). João Pessoa (PB), Brazil
  • Eva Pôrto Bezerra College the Nursing and Medical Nova Esperança (FACENE/FAMENE). João Pessoa (PB), Brazil.
  • Josélio Soares de Oliveira Filho College the Nursing and Medical Nova Esperança (FACENE/FAMENE)
  • Nereide de Andrade Virgínio FACENE/FAMENE/PB
  • Cláudia Germana Virgínio de Souto FACENE/FAMENE/PB
  • Déa Sílvia Moura da Cruz FACENE/FAMENE/PB
  • Amanda Benício da Silva FACENE/FAMENE/PB
  • Camila Navarro Rocha Saraiva UFPB
  • Emmanuella Costa de Azevedo Mello FESVIP
  • Andréa Márcia Cunha Lima UFPB
  • Lucas Cunha Pimenta Barbosa Maternity Frei Damião
  • Daniela Karina Antão Marques FACENE/FAMENE/PB
  • Vanessa Serrano Bezerra FACENE/FAMENE/PB
  • Gerson da Silva Ribeiro UFPB

Abstract

Objective: Describe and characterize NASF health practices.


Method: It is a review of current literature carried out by consulting the database Lilacs and Virtual Library of SciELO in the period from December 2016 to January 2017.


Conclusion: It is concluded that, although the NASF is recognized as a support to the Family Health Strategy (FHS), still does not act in an articulated way, being fundamental that changes take place in the organization of the services and in the conduct of the health professionals who contemplate it.


Descriptors: Primary Health Care. Family Health; Public Health Policies. Nursing.

References

1. Almeida Belas, Izaias et al. Articulated Actions of the Family Health Strategy Teams and their Centres of Support in the State of Piauí, Brazil. International Archives of Medicine, [S.l.], v. 10, jan. 2017. ISSN 1755-7682. Available at: . Date accessed: 15 mar. 2017. doi: http://dx.doi.org/10.3823/2275.         

2. Lima Batista Maia, Verônica Lourdes et al. Training of Professionals from the Family Health Strategy for Psychosocial Care for the Elderly. International Archives of Medicine, [S.l.], v. 10, jan. 2017. ISSN 1755-7682. Available at: . Date accessed: 15 mar. 2017. doi: http://dx.doi.org/10.3823/2277..         

3. Andrade LMB et al. Análise da implantação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família no interior de Santa Catarina. Saúde e Transformação Social,2012, v.1, n.1, p.18-31.

4. Brasil. Ministério da Saúde (MS). Portaria nº 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família – NASF. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. 2008. Brasília-DF, 25 jan. Available from: .         

5. Brasil. Ministério do Estado da Saúde (MES). Gabinete do Ministro. Portaria nº 2.843, de 20 de setembro de 2010. Legislações. Gabinete do Ministro. 2010a. Available from: .

6. Brasil. Oficina de qualificação do NASF. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. 2010c. Available from: .

7. Brasil. Ministério da Saúde (MS). Gabinete do Ministro. Portaria MS/GM nº 2.488, de 21 de outubro de 2011a. Brasília: Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, Seção 1, p.48-55, 24 out. 2011. Available from: .

8. Martines WRV, Chaves EC. Vulnerabilidade e sofrimento no trabalho do Agente Comunitário de Saúde no Programa Saúde da Família. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 2007, v.41, n.3, p.426-433.

9. Barbosa EG et al. Experiência da Fisioterapia no Núcleo de Apoio à Saúde da Família em Governador Valadares - MG. Revista Fisioterapia e Movimento. 2012. Available from: .

10. Figueiredo EN. A Estratégia Saúde da Família na Atenção Básica do SUS. UNIFESP. UMA-SUS. 2012. Available from: .

11. Brasil. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011. 2011c. Available from: .

12. Brasil. Ministério da Saúde (MS). Departamento de Atenção Básica. Secretaria de Atenção à Saúde. Saúde mais perto de você: a renovação na saúde. Revista Brasileira Saúde da Família, Ministério da Saúde, Ano XII, nº 30. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2011b. Available from: .

13. Araújo MFS. O enfermeiro no Programa de Saúde da Família: prática profissional e construção da identidade. Conceitos. 2012. Available from: .

14. Campos GWS, Domitti AC et al. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cadernos de Saúde Pública. 2007. Available from: .

15. Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização. Atenção Básica. Caderno Humaniza SUS. 2010b. Available from: .

16. Mendonça CS. Saúde da Família, agora mais do que nunca. Ciências e Saúde Coletiva, 2009. Available from: .

17. Campos GS. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cadernos de Saúde Pública. 2007. Available from: .

18. Vosgerau MZS et al. Consumption of medicines by adults within an area covered by a family health unit. Ciência & Saúde Coletiva, 2011. 16(Supl. 1):1629-1638. Available from: .

19. Silva AG et al. Pharmacist role in the Family Health Support Centers: a contribution to the strengthening of the Family Health Strategy. Rev. APS. 2016 jan/mar; 19(1): 14 – 23. Available from: .

20. Lima ACS, Ilka VF. A formação do terapeuta ocupacional e seu papel no NASF (PE). Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar . 2014, Vol. 22 Issue 1, p3-14. 12p.
Published
2017-04-25
How to Cite
LEITE, Djavan Gomes et al. The Family Health Support Core (NASF) And Health Practices: Are There Many Challenges To Be Overcome?. International Archives of Medicine, [S.l.], v. 10, apr. 2017. ISSN 1755-7682. Available at: <http://imedicalsociety.org/ojs/index.php/iam/article/view/2443>. Date accessed: 22 nov. 2017. doi: https://doi.org/10.3823/2376.
Section
Nursing

Most read articles by the same author(s)