Cardiopulmonary Re-Immonation (CPR): How Long Should A Person Insist On Performing The Maneuvers?

  • Henrique José Bandeira Formiga
  • Elicarlos Marques Nunes Faculdades Integradas de Patos, Paraíba, Brasil
  • Kévia Katiúcia Santos Bezerra
  • Jairio dos Santos Nery
  • Massabiel Rocha Arnaud Segundo
  • Maria Camila Bandeira Seixas Bosco
  • Geórgia Cristina dos Santos Dantas
  • Damiana Veras
  • Rosa Martha Ventura Nunes
  • Edmara da Nóbrega Xavier Martins
  • José Hamylka Ventura Nunes
  • Moniza Karlla Silva Cavalcante
  • Érica Surama Ribeiro César Alves
  • Anne Milane Bezerra Formiga
  • Allan Martins Ferreira

Abstract

Objetive: The study had the aim to describe the exact moment of interrupting CPR maneuvers in patients in CRP situations.


Method: This is an exploratory and descriptive research, with quantitative character and approach. It was performed with 67 (seventy-seven) nurses from a Regional Hospital, who were informed about the objectives of the same. There were included those who act in direct patient care; of effective position and contracted in the service; And with more than one (1) year of training. The instrument used for data collection was a questionnaire, previously elaborated, containing objective, subjective and non-inductive questions, which allowed the informant to answer the data pertinent to the study. It was found that the majority of the interviewees were women, aged between 31 and 35 years, specialists, with more than 4 years of training and 3 years of service, medical / surgical clinic attendees, and without reports of training.


Results: They demonstrated they know the exact timing of CPR maneuvers but reported that they would not apply CPR in situations in which the patient had cadaveric stiffness, decomposition, crushing of the skull and thorax, or a CPA report of more than 20 minutes. Faced with conditions in which the team could decide not to perform CPR, they reported not applying CPR in the vegetative state, in terminal or chronic patients.


Conclusion: Therefore, they conclude that the said moment of interrupting the protocol is determined in a personal and ethical way, that is, by the individuality of each situation.


Keywords: Nurses. Cardiovascular Stop. Cardiopulmonary resuscitation.

Author Biography

Elicarlos Marques Nunes, Faculdades Integradas de Patos, Paraíba, Brasil

Nurse. Master in Public Health. Assistance in Emergency Mobile Service and Teacher of Nursing and Public Health.

References

1. Gonzalez MM, et al. Diretriz de Ressuscitação Cardiopulmonar e Cuidados Cardiovasculares de Emergência da Sociedade Brasileira de Cardiologia: resumo executivo. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. v.100, n.2, p.105-113. Rio de Janeiro: 2013.

2. Pazin Filho A, et al. Parada Cardiorrespiratória. Urgências e emergências cardiológicas. v.36, n.2, p.163-178, 2013.

3. Pereira DS, Vieira, AI, Ferreira, AM, Bezerra AMF, Bezerra, WKT. Atuação do enfermeiro frente à Parada Cardiorrespiratória (PCR). Revista Brasileira de Educação e Saúde. v.5, n.3, p.08-17, Jul/Set 2015.

4. Canova JCM, et al. Parada Cardiorrespiratória e Ressuscitação Cardiopulmonar: vivências da equipe de enfermagem sob o olhar da técnica do incidente crítico. Revista de Enfermagem da UFPE [on line]. Recife: 2015.

5. Brasil, Ministério da Saúde. Resolução nº 466/12. Conselho Nacional de Saúde. Regulamenta a pesquisa envolvendo seres humanos. Ministério da Saúde. Brasília: 2012.

6. Santos MV, et al. Satisfação de enfermeiros com curso de formação para operacionalização de protocolo sobre úlcera por pressão. Revista Rene. v.16, n.4, p.496-503, 2015. Disponível em: . Acesso em 20 de Outubro de 2016.

7. Santos FC, Camelo SH. O enfermeiro que atua em Unidades de Terapia Intensiva: perfil e capacitação profissional. Revista Cultura de los Cuidados. v.43, 2015. Disponível em: . Acesso em 20 de Outubro de 2016.

8. AHA, American Heart Association. Destaques das Diretrizes da American Heart Association 2015 para RCP e ACE. AHA, 2015.

9. Tallo FS, et al. Atualização em Reanimação Cardiopulmonar: uma revisão para o clínico. Revista Brasileira de Clínica Médica. São Paulo: 2012.

10. Aehlert B, ACLS. Advanced Cardiac Life Support. Emergências em cardiologia: Suporte Avançado de Vida em Cardiologia. 4.ed. Elsevier. Rio de Janeiro: 2012.

11. Reis RR, Silva FJ. A assistência de enfermagem em situação de urgência a vítima de Parada Cardiorrespiratória. Rio de Janeiro: 2012.

12. Moraes CLK, Paula MA, Silva JR, Rodrigues MCL. Desafios enfrentados pela equipe de enfermagem na reanimação cardiorrespiratória em uma unidade de emergência hospitalar. Revista Eletrônica Estácio Saúde. v.5, n.1, p.90-99, 2016.

13. Guimarães MR, et al. Revisão de literatura: Reanimação Cardiopulmonar. Revista de Iniciação Científica da Universidade Vale do Rio Verde. v.5, n.1, p.3-12. Três Corações: 2015.

14. Almeida AO, et al. Conhecimento teórico dos enfermeiros sobre parada e ressuscitação cardiopulmonar, em unidades não hospitalares de atendimento à urgência e emergência. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 19, n. 2, abr. 2011.

15. Bellan MC, Araújo IIM, Araújo S. Capacitação teórica do enfermeiro para atendimento da parada cardiorespiratória. Rev Bras Enferm, Brasília Bras Enferm, Brasília 2010 nov-dez; nov-dez; 63(6): 1019-27.

16. BLS, BASIC LIFE SUPPORT. Novas diretrizes para o Atendimento Cardiovascular de Emergência (ACE) e para a Parada Cardiorrespiratória (PCR). American Heart Association. 2015.

17. Oliveira A, Figueiredo, A. Implicações éticas da aplicação do protocolo de Parada Cardiorrespiratória em Suporte Imediato de Vida. In: SILVA, E. B.; PERES, J. A.; GOMES, J. L.; MARTINS, R. M. L.; ANDRÉ, S. S. Livro de Resumos/Atas do 6º Seminário de Bioética “Conduta Ética: Integridade Acadêmica e Profissional”. Viseu: Escola Superior de Saúde de Viseu. p.19-26, 2016.

18. Rubulotta F, Rubulotta G. Ressuscitação cardiopulmonar e ética. Revista Brasileira de Terapia Intensiva. v.25, n.4, p.265-269, 2013. Disponível em: . Acesso em 20 de Outubro de 2016.

19. Nascimento MG, Costa TRS, Costa MJB, Lima KAS, Rocha TMP, Santos CS. Dimensões éticas envolvidas no cuidado de enfermagem: uma revisão de literatura. Veredas. v.8, n.2, 2015. Disponível em:
20. Nogueira EC, Santos TV, Monteiro TG. Aspectos éticos e legais da ordem de não ressuscitar: percepção do enfermeiro. Interfaces Científicas. Saúde e Ambiente. v.1, n.3, p.39-48. Aracaju: 2015. Disponível em: . Acesso em 20 de Outubro de 2016.

21. Florentino AMRA, et al. Parada Cardiorrespiratória e os cuidados do enfermeiro. IN: FERREIRA, A. M. et al. Urgência e emergência: do APH aos cuidados intensivos. JB Editora. 290fls. ISBN: 978-85-68196-05-2. Patos: 2016.
Published
2017-04-22
How to Cite
FORMIGA, Henrique José Bandeira et al. Cardiopulmonary Re-Immonation (CPR): How Long Should A Person Insist On Performing The Maneuvers?. International Archives of Medicine, [S.l.], v. 10, apr. 2017. ISSN 1755-7682. Available at: <http://imedicalsociety.org/ojs/index.php/iam/article/view/2541>. Date accessed: 26 july 2017. doi: https://doi.org/10.3823/2406.
Section
Cardiology

Most read articles by the same author(s)