The Behavior Associated to Death from External Causes in Elderly People in Brazil

A historic timeline from 1995 to 2010

  • Eliana Barreto Fixina Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Eulalia Maria Chaves Maia, Dr. Federal University of Rio Grande do Norte
  • Dario de Queiroz Ribeiro, Mr. State University of Rio Grande do Norte

Abstract

METHODS: This is an ecological study that aimed to understand the behaviour of deaths from external causes in the population older than 60 years old in all Brazilian states. The data was collected using the Brazilian Mortality Information System and the population data from the Brazilian Institute of Geography and Statistics and from the SUS Informatics Department organized in historic series from 1995 to 2010.


RESULTS AND CONCLUSIONS: It is not possible to deny that deaths from external causes in elder citizens is not in an increasing and statistically significant tendency in most Brazilian states. This brings preoccupation about the issue, since discussions on the subjects are limited in the country, which makes this study good for future references in the field.

References

1. .Zimerman, Guite I. Velhice: aspectos biopsicossociais. Porto Alegre; Artmed 2006
2. Faleiros, Vicente de Paula. Violência contra pessoa idosa: ocorrências, vítimas e agressores. 1ª edição. Rocca. Brasília. (DF) 2007
3. Veras, Renato. Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Revista de Saúde Pública, 2009 43 (3):548-54
4. Duarte, Elisabeth C. ... [et al] Epidemiologia das desigualdades em saúde no Brasil: um estudo exploratório. Brasília: Organização Pan americana de Saúde – OPAS, 2002, 123 p.: il.
5. Bobadilla, J. L., Possas, C. A. Health policy issues in there Latin Coutrien: 5 implication epidemiologyc transition. Washington: National academy Press, 1993 p.145- 169
6. Minayo, Maria Cecília de Souza (org.) Antropologia, saúde e envelhecimento. / Organizado por Maria Cecília de Souza Minayo e Carlos E. A. Coimbra Jr. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2002. 212p.
7. World Health Organization – ICD 10/ Organização Mundial de Saúde; translation: Centro colaborador para a Classificação de Doenças em português. 2nd ed – São Paulo: University of São Paulo Press, 1995
8. Minayo. M. C. Souza de. Seis características da morte violenta. Est. Pop., Rio de Janeiro, v. 26, n. 1, p. 135-140, jan./jun. 2009
9. Silva, Vanessa de Lima et all. Associação entre carência social e causas de morte entre idosos residentes no município de Recife, Pernambuco, Brasil. Caderno de saúde Pública, Rio de Janeiro RJ, 24(5): 1013- 1023, maio 2008.
10. Teixeira C.E. Transição Epidemiologica , Modelo de Atenção à Saúde e Previdência social no Brasil. Problematizando tendência e opções políticas. Ciências e Saúde Coletiva 2004, 9: 841-3.
11. Landman C.S ; Leal M.C. Características da Mortalidade Neonatal do Rio de Janeiro, na década de 80: uma visão espaço-temporal. Revista de Saúde Pública V. 31nº 31 Outubro de 1997 Pag. 457 – 65.
12. Medronho, R. A. [et al] Epidemiologia. 684 p. São Paulo Editora Atheneu 2009.
13. Latorre, Maria do Rosário D. de O. e Cardoso M.R.A Análise de Séries temporais em Epidemiologia. Revista brasileira de Epidemiologia. Vol. 4. Nº 3 2001. .
14. Laurentti, Ruy, et al. Improving the information on the underlying cause of death based on record linkage: an analysis of external causes among the elderly − State of Rio de Janeiro, Brazil, 2006. Epidemiologia dos Serviços de Saúde. Brasília, 21 (3): 407-418, jul.-set. 2012.
15. Latorre, M. do R. D. de. A mortalidade por câncer de estomago no Brasil: análise do período do 1977 a 1989. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 13 ( suplemento): 67 – 78, 1997
16. Brasil. Dados do departamento de informática do SUS. Brasília 1995-2010. Acessado em 13/10/2014 .www.datasus.gov.br
17. Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Brasília, 1995-2010. Acessado em 14 Oct 2014www.ibge.gov.br
18. .Foucault, Michel. Vigiar e Punir: nascimento das prisões. 37ª edição. Petropólis RJ: Editora Vozes 2009
19. Kanso Solange et al. Avoidability of deaths from chronic illnesses in elderly individuals in São Paulo, Brazil. Cad. Saúde Pública [online]. 2013, vol.29, n.4, pp. 735-748. ISSN 0102-311X.
20. Latorre, Maria do Rosário D. de O. et al. Tendências da mortalidade por doenças respiratórias em idosos antes e depois das campanhas de vacinação contra Influenza do Estado de São Paulo – 1980 a 2004. Revista Brasileira de epidemiologia, 9 (1) 32- 4, 2006
21. Minayo. M. C. Souza de. Violência contra Idosos: O Avesso do respeito à experiência e à sabedoria. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2ª edição, 2005.
22. Ministério da Saúde. Brasil. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa. Cadernos de Atenção Básica. Brasília 2006.
23. United Nations. Programa das nações unidas para o desenvolvimento www.pnud.org.br
24. Reichenheim, M. E., Souza, E. R. de., Moraes, C. L., Jorge, M. H. P de M., Silva, C. M.F. P. da, Minayo, M.C.S. de, Violência e lesões no Brasil: efeitos, avanços alcançados e desafios futuros. Saúde no Brasil – Séries Vol. Cinco 2011.
25. Brasil. Rede interagencial de informações para a saúde. Brasília, 2010 ww.ripsa.org.br
26. Severino, A.F. Metodologia do Trabalho Científico 21ª edição. São Paulo: Cortez
27. Elias N. A solidão dos moribundos – seguido de “Envelhecer e.morrer”. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor; 2001.
28. Kanso S et al Qualidade da informação da causa de morte de idosos Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 27 (7):1323-1339, jul, 2011
29. Castellanos P L. Perfis de mortalidade, nível de desenvolvimento e iniqüidades sociais na região da Américas. In: Barata RB, organizadora. Equidade e saúde: contribuições da epidemiologia. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz/ABRASCO; 1997. p. 137-60.
30. Camarano A. A. Kanso, S., et all. Como Vive o idoso Brasileiro? IPEA. p. 137-60.
31. Pinto L. W. et all. Suicide mortality in people aged 60 and over in Brazilian municipalities between 1996 and 2007. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2012, vol.17, n.8, pp. 1963-1972. ISSN 1413-8123.
32. Paim, J. S. et all Distribuição espacial da violência: mortalidade por causas externas em Salvador (Bahia), Brasil Rev Panam Salud Publica/Pan Am J Public Health 6(5), 1999
33. Pinto L. W. et all. Factors associated with suicide mortality among the elderly in Brazilian municipalities between 2005 and 2007. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2012, vol.17, n.8, pp. 2003-2009. ISSN 1413-8123
34. Minayo M.C.de Souza et all. Systematic review of the Brazilian academic production about external causes and violence against the elderly. Ciência & Saúde Coletiva, 15(6):2719-2728, 2010
35. Minayo. M.C. de Souza. Violence against the elderly: the relevance of an old health problem. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 19(3):783-791, mai-jun, 2003
36. MINISTÉRIO DA SAÚDE Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica Envelhecimento e saúde da pessoa idosa / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica – Brasília : Ministérioda Saúde, 2006.192p. nº19
37. Jesus, J. C. L de. A violência contra idosos em Aracaju: um reflexo das modificações sociais da imagem de “velho” em sociedades modernas. Dissertação do Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal de Sergipe. Setembro de 2010.
38. Valadares FC, Souza ER. Violence against the elderly: analysis of aspects of mental health care in five Brazilian cities. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2010, vol.15, n.6, pp. 2763-2774. ISSN 1413-8123.
Published
2017-11-16
How to Cite
FIXINA, Eliana Barreto; MAIA, Eulalia Maria Chaves; RIBEIRO, Dario de Queiroz. The Behavior Associated to Death from External Causes in Elderly People in Brazil. International Archives of Medicine, [S.l.], v. 10, nov. 2017. ISSN 1755-7682. Available at: <http://imedicalsociety.org/ojs/index.php/iam/article/view/2732>. Date accessed: 15 dec. 2017. doi: https://doi.org/10.3823/2535.
Section
Geriatrics